After-data-leak-Twitter-will-be-investigated-by-Irish-government

Após vazamento de dados, Twitter será investigado pelo governo irlandês

A Comissão Irlandesa de Proteção de Dados (DPC) anunciou a abertura de uma investigação sobre o vazamento de dados de 5,4 milhões de usuários do Twitter. A entidade reguladora quer saber se a rede social tem cumprido as suas obrigações relativamente ao armazenamento de dados dos utilizadores e se foram seguidas as regras em vigor na União Europeia neste caso.

  • 5 dicas para ter mais privacidade nas redes sociais
  • Dados pessoais de brasileiros estão entre os mais baratos do mundo em crimes cibernéticos

Em questão está o aviso da empresa às autoridades irlandesas e a maneira como a plataforma lidou com o vazamento. Segundo o DPC, há motivos para acreditar que o Twitter violou o GDPR, legislação de proteção de dados semelhante à nossa LGPD, ou o Data Protection Act 2018, exclusivo do Reino Unido, bloco do qual a Irlanda faz parte. .

De acordo com o comunicado oficial do governo da Irlanda, as preocupações surgiram após comunicações entre autoridades reguladoras e o Twitter sobre o vazamento, que se tornou público em julho deste ano. Conforme afirmado, foram mais de cinco milhões de usuários comprometidos, com e-mails e telefones aparecendo ao lado de informações públicas de contas cadastradas na rede social.

Inicialmente, o volume era compartilhado de forma privada em fóruns cibercriminosos, até ser lançado gratuitamente na superfície da web em novembro deste ano. Também no final do mês passado, surgiu um novo banco de dados, que teria 17 milhões de cadastros com ainda mais informações de usuários. Como pouca desgraça é bobagem, neste fim de semana também surgiram informações de um terceiro vazamento com 400 milhões de registros, cuja autenticidade ainda não foi confirmada por especialistas em segurança digital.

Enquanto as investigações sobre este último caso ainda estão em andamento, pelo menos os dois comprometimentos anteriores seriam devido a uma falha na API do aplicativo da rede social para Android. A partir da vulnerabilidade, os invasores conseguiram raspar dados públicos do Twitter de bancos de dados com números de telefone, associando-os a contas e outras informações que eram disponibilizadas abertamente, mas agora aparecem em um conjunto sob medida para exposições. ou golpes de phishing e roubo de identidade.

O Twitter não comentou a investigação aberta pelo governo irlandês. Embora a DPC tenha anunciado que os trabalhos estão em andamento, não há prazos para liberar relatórios ou anunciar conclusões, que só devem ocorrer em 2023.

https://animamundi2019.com.br